Eu tenho, voce nao tem

Voce tem uma afilhada (amada, idolatrada, salve salve, gostosa, fofura) que aparece no google street view?

eu tenho!

Meu petit gateau na porta la de casa!

Anúncios

Pirataria

Desde que conheci M. uma das coisas que me chamava atenção quanto a sua personalidade era o fato de que ele JAMAIS fazia downloads ilegais. Se ele gostava de uma música de determinado CD, comprava o CD só por causa da música. Se saia o novo episódio do seriado que ele gosta, ele esperava sair aqui na Inglaterra para assistir.

Eu, má influência que sou, entregava mastigado todos os sites onde ele pudesse baixar tudo o que quisesse. Ao invés de ouvir um “obrigado”, ouvia um “you shouldn’t do that! That’s the same as stealing”. Não adiantava, não havia argumentos suficientes para livrar minha cara de taxo diante de tal afirmação. Ele sempre estava certo nesse quesito. Ele jamais iria fazer um download para assistir o último episódio de Smallville (alguém me explica essa fascinação que homens tem por esse seriado?).

Eu estou contando isso para vocês porque esse sentimento politicamente correto meio que tomou conta de mim. Hoje ja nao faço downloads. Sim admito. Quando quero ouvir alguma música brasileira me sirvo do acervo do UOL RÁDIO (que ultimamente só toca Lulu Santos e Cazuza), quando quero assistir algum programa do Brasil (melhor, da Band) assisto os vídeos disponibilizados pelo E-band, ou os vídeos do Caldeirão do Hulk no site dele. E quanto a filmes vocês me perguntam? Bom, existe aqui nas oropa um site que se chama LoveFilm.com. Você compra um pacote (acho que eles tem 6 ou mais), paga certa quantia por mês e tem direito a x filmes. O pacote que temos aqui funciona assim: temos direitos a quantos filmes quisermos online (streaming films) e 2 dvds em casa. Assim que assistimos os filmes postamos de volta e recebemos mais 2 dvds (demora cerca de 3 dias entre o postar um e receber novos). Pagamos £9.99 pelo pacote. Bagatela, ainda mais pensando que cada dvd por custar cerca de £5.00. Para quem quiser um mês de grátis, me fala que eu tenho 2 códigos (funciona em alguns países das oropa – Alemanha, Dinamarca, Suécia e Noruega – eu acho).

Quanto aos seriados, e gleek como sou, tive de aprender a viver com a realidade de ter que esperar os episódios chegarem aqui. NOT! Descobri um streaming tv website. Ueba!! Streaming tv não é crime, não é roubo, não é pirataria, não é nada. Então pode! Quem quiser saber qual website é esse diga EU! Ops, queria dizer, clique aqui. Assim que você escolher o episódio que quiser assistir vai ter que escolher um outro site onde será transmitido seu vídeo. Recomento o veevr.com.

Espero ter ajudado a acabar com downloads ilegais hehe

Lady Bug

Fiquei com invejinha branca da Bruna uma joaninha pousou aqui no meu laptop. E, aproveitando o ensejo, quero dizer a ela que eu estou nessa campanha de FORA ARANHAS! E faço suas as minhas palavras:

Eu gostaria de ter enxurradas de joaninhas em casa, porque estou cansada de aranhas. Sim, elas são muitas. Teias ninjas, feitas de um dia pro outro depois de destruídas com o cabo de vassoura, bem à distância. Eu vejo tantas diversidades de aranhas, que se eu ver uma caranguejeira vou chamar de Missy.  Acho que desistirei de tudo no dia que eu ver um cruzamento de aranha com barata, eeew

Brighton

Acho que não tem outro lugar fora Londres que acumule tantos brasileiros como Brighton. Não dá para não dar uma voltinha por lá que com certeza irá se esbarrar com um brazuca. Eu acho Brighton sensacional. Adoro as lojinhas, o clima (o vento incessante), o píer…

Entonces, bora lá.

The Lanes

Se você quer ver um tanto de lojinhas charmosas que vendem coisinhas que uma pessoa “normal” não podem comprar (leia-se jóias hehe), a the lanes traders é perfeita. Trata-se de um labirinto cheia de lojinhas, joalherias, galerias de artes, lojas de músicas. Para encontrar a The Lanes Traders tem duas alternativas:

  1. Você vai fuçando, fuçando até se deparar com uma vitrine cheia de diamantes, esmeraldas. Pronto chegou!
  2. Ela é chamada de South Lane. Descendo a North Street, terá uma placa, ela estará a sua direita.

North Laine

Aqui você, definitivamente, encontra o espírito de Brighton. Com as lojinhas de roupas (beeeeem estilo townie), de músicas (moleza de achar qualquer vinil de bandas inglesas), cafés, burger bars, lojinhas estranhas diferentes…

Se for lá, não deixem de ir no Gourmet Burger Kitchen. O sanduba de lá é muito bom, feito na hora, bonitinho, gostoso, e apesar de parecer que é um absurdo de caro, não é. Se você for como eu, não muito fã de sanduiches que tem 3 metros de altura, qu

e mal cabem na sua boca, peça o junior. O pão é menor, e o hamburger (que aqui se fala apenas burger, porque não tem ham – presunto) é do mesmo tamanho. O Junior Menu (junior beef burguer, batata pequena e coca) sai por £5.95.

Brighton Pier

O Pier é um caso à parte. Além de ser lindo, tem um parque de diverões! Não há uma só alma que vá a Brighton e não dê aquela passadela no pier. Aproveite e leve todas as suas moedas de 2p para brincar nos caça níqueis (qual o plural de caça níquel?). Para variar tem cafés, e umas lojinhas (desks) de bugingangas também. O parque de diversões tem direito até a maça-do-amor, jogos de atirar na lata, e trem fantasma.

Sem contar da vista!

Royal Pavillon

Construído pelo Rei George IV, entre 1787 e 1823, o Royal Pavillon é, visivelmen

te, uma parecido (lá vai eu falar do que não sei, mas que me faz pensar no Taj Mahal, isso f

az). Foi construído com o intuíto de ser o reduto do Rei (que à época era Principe Regente). Lá,  ele poderia, tratar de sua gota (seu médico havia lhe dito que a água do mar seria benéfica ao tratamento) e ficando longe da corte de Londres, virou também, um lugar para que ele pudesse se encontrar com sua “companheira” (tão sentindo o desdém?!) Sra. Maria Anne Fitzherbert.

Brighton é uma cidade muito agitada, principalmente à noite. Há diversos pubs, bares, boites que bombam (não sou muito de boatera, como diria.. eu mesma), mas sei que tem uma chamada The Arch que fica bem na beira da praia, em baixo da rua (sim caro leitor, você desce as escadinhas e vai para de baixo da via!) Lá é beeeeeeemmmmm alternativo, but it’s worth the fun.

A cidade também tem milhões de lojinhas, e um shoppingzinho.

Se você está em Londres, há trens saindo da London Victoria praticamente a cada 45 minutos (www.nationalrail.co.uk).

Hair Extensions



Quem chega à Inglaterra pela primeira vez, normalmente repara como a vaidade é algo presente por aqui. São maquiagens, acessórios, roupas, cortes de cabelo. Tudo para deixar na moda, esconder a feiura melhorar os atributos físicos, etc.

A mãe do M. me convidou, na quarta feira, para ir numa demonstração que o salão onde ela corta o cabelo iria fazer sobre, CABELO. Como secar, penteados, melhor corte, melhor shampoos, etc. Tinha também uma demonstração de uma marca de apliques (sim apliques), chamada Balmain Hair.

Eu sou daquelas que acho que quem usa aplique é a Mulher Melão, Melancia, Adriana Bombom, Globeleza… Acho barango, brega, horroroso, uó. Minha cunhada que me perdoe (se bem que ela não lê o blog – ela não fala português, dãh) mas ela usa, e eu acho péssimo. Dá para ver que não é seu cabelo. Dá pra ver que uma parte está radicalmente mais curta que a outra, dá pra ver que é esquisito.

Mas eu tenho que admitir. Esse aplique da Balmain é de tirar o chapéu. Eu fiquei meio desconfiada, pois não é cabelo humano, é falso. Eles preferem chamar de memory hair. E apesar de ser cabelo fake (falsí, genérico como diz minha mãe) não dá pra ver a diferença. Mesmo!

Fiquei encantada por alguns motivos:

  1. O tal do memory hair só muda o formato (ou penteado hehe) com calor. Ou seja, você que está pros lados de cá sabe muito bem o que é ficar horas se arrumando, fazendo a chapinha e olhando para a janela para ver se o tempo mudou. O memory hair se mistura no seu cabelo. Então se você está de chapinha e chove, o memory hair dá uma segurada no encolhimento da juba desfazimento do penteado. Se seu cabelo não fica cachos, com o memory hair ficará.
  2. Ele prende no cabelo com tictacs, e mesmo que você puxe com CERTA força não sai. Eu disse certa força, não va querer que a mecha fique no seu cabelo depois de você puxar com a força do Hulk.

Se você sempre quis fazer luzes, mechas coloridas, com essas mechas da Balmain você não precisa gastar dinheiro e tempo no salão. Eu coloquei umas mechas da cor Nordic Blonde no meu cabelo e ficou parecendo que eu tinha luzes! Não tenho fotos (nunca imaginem que iria gostar tanto, por isso nada de máquina), mas podem acreditar em mim. O que digo é real e não estou recebendo nada pelo post (infelizmente).

Fica ai o site do Balmain Hair. Quem quiser eu to pensando em exportar memory hair.

Papa em Londres

7:20 am – Acordei animada. Tinha que pegar o trem às 8:15 am para Londres. M. continuou dormindo até o último minuto possível, o que elevou o nível de minha ansiedade.

8:00 am – Chego na estação e o que ouvimos é que o nosso trem das 8:15 foi cancelado. O condutor foi agredido, então teve que ir à delegacia e tal. Ou seja, mais 33 minutos esperando pelo próximo trem.

8:43 am – Já estava sentadinha no trem. Junto comigo M. com uma cara nada amigavel, afinal ficou brincando com o seu Iphone 4 (ele ficou mais de 3 meses juntando dinheiro para poder comprar um e não sofrer as consequências financeiras). Ao longo do caminho, várias pessoas, grupos também entram no trem junto comigo para ver o Papa.

Assim que chegamos em Londres fomos comer alguma coisa. Sou daquela que tem o estômago embrulhado pela manhã, e apesar da fome, não consigo comer nada. (DICA: se você está na Estação London Victoria, tem um mini shopping com uma área de alimentação que serve café da manhã). Fomos então passear, afinal o Papa só iria sair no PapaMóvel às 6 da tarde.

Passeamos pela Chinatown, Soho (para aqueles que tem a mente fechada, não se aproximem do Soho. O Soho é conhecido pelos sex shops e por ser um bairro onde a comunidade GLBT se encontra – você verá diversos pubs com a bandeira do movimento na frente).

Almoçamos, M. comprou uma jaqueta (sabe o que me deixa muito feliz? M. é meio conservador no quesito roupas. Super tradicional. Então fico ultra feliz quando eu peço para ele provar uma roupa – no caso a jaqueta – e ele gosta).

E nos dirigimos ao percurso do Papa.

3:30 pm – Hora que chegamos ao parque.

6:15 pm – Hora que o Papa passou por nós no papamóvel.

Na volta, mais uma vez, vemos que nosso trem está cancelado. Alguém se jogou na linha do trem. Infelizmente esses acontecimentos são super comuns aqui na Inglaterra. Acho que a depressão, a falta de dias ensolarados (sim, a falta de sol pode fazer as pessoas super deprimidas), não sei bem o que leva o suícidio tão alto pelas bandas daqui.

Dia cansativo, mas valeu a pela. Fiquei muito emocionada e feliz pela oportunidade de ter visto o Papa. Agradeço ao M. que mesmo ultra cansado, ficou comigo, de pé, esperando a Santidade passar.

Chinatown

Todo mundo adora um Chinatown né?! Aquela coisa de produtinhos baratos (leia-se falsificados), um tanto de mercadinho com aquelas guloseimas meio esquisitas diferentes… A Chinatown de Londres não tem produtinhos baratos (pelo menos não a vista), tem milhões de restaurantes chineses (e uma Pizza Express perdida por ali) que são bem naquele estilo brasileiro de pague X e coma a vontade, um bucado de tacky souvenier shops. Ela é pequenininha, mas vale o passeio.

Para chegar em Chinatown desca em Oxford Circus, Leicester Square, Haymarket ou Picadilly (recomendo descer em Oxford Circus, a caminhada não é longa e você ainda pode disfrutar das lojinhas paisagem.

Logo logo colocarei A foto do Papa. Sim minha gente. UMA foto do papa! Foi tudo que consegui, mas valeu a pena.

Pra se virar

Quando eu vim para a Inglaterra pela primeira vez (quase 4 anos atrás) reparei que meus milhares de anos de curso de inglês não serviam para muita coisa. Ok, ok eu conseguia conversar, explicar as coisas, mas quase não conseguia entender o que as pessoas falavam. Admito, o sotaque é um pouco bucado carregado, e ainda tem as gírias. Se não fosse por M. ao meu lado, como meu tradutor oficial, eu acho que iria ficar perdida.

Então para ajudar aqueles que pretendem viajar, morar, estudar, o que for aqui, pensei numas palavras que não se aprende em curso nenhum (pelo menos eu acho).

  • Bloke/Lad – Garoto
  • Bin – Lata de Lixo
  • Boot – Porta Malas
  • Cheers – é um agradecimento. Se é usado a toda hora (qualquer situação – mesmo)
  • Chips – Batata Frita (tipo Mc Donalds)
  • Crisps – é o nosso chips (ruffles, etc)
  • Cuddle/Snuggle – Abraço
  • Fag – Cigarro
  • Fit – Uma pessoa atraente (she’s fit)
  • Flipping/Friggin – uma forma discreta (nem tanto) de usar o fucking
  • Knackered – Exausto
  • Knickers – Calcinhas
  • Lift – Elevador
  • Loaded – Pessoa Muito Rica
  • Mash – Purê de Batatas
  • Mental – Louco
  • P – (pi) é o diminutivo para pence (os centavos da libra) – 0.99p
  • Pants – Cueca
  • Petrol – Gasolina
  • Pint – Copo com cerca de 570ml
  • Plasta – O noso famoso Band-Aid
  • Prawns – Camarão
  • Quid – É a forma que se referem à moeda – libra – como o nosso “20 conto, mango”
  • Rubbish – lixo
  • Shag – Sexo
  • Snog – Beijo
  • Take Away – O famoso “prá levar” do restaurante
  • Text – Mensagem de Celular (SMS)
  • The Loo – Banheiro
  • Trousers – Calças

Lembrando que aqui se fala cinema, film (para obviamente filme).

Where is your heart?

Quem aqui nunca teve que explicar aos amigos, família (e demais que não se classificam como pessoas que deveriam se importar) porque escolhemos estar por aqui? São diversos os motivos que levam as pessoas à “abandonar”, largar, deixar para trás a vida que levava em casa. Ás vezes, quando me perguntam o porque de eu gostar tanto daqui, fico sem palavras. Sabe aquela sensação que, por mais que você tente explicar, nunca é suficiente? Então, ontem, andando por Chichester, passei em frente a uma loja de artigos para casa (tipo Tok & Stok) e vi esse cartaz. Morro de vergonha de tirar fotos dessas coisas, então de esperar uns 2 minutos, fingindo olhar para o conjunto de sofá por apenas £299.99 (sim, decorei a vitrine, já que fiquei fitando-a por 2 minutos), consegui explicar o porque de Chichester, o porque de não estar em Belo Horizonte, o porque de querer ficar aqui para sempre (ou enquanto for possível).