Geração Preguiça

Uma das primeiras coisas que notei e gostei na Inglaterra, quando eu vim pela primeira vez, foi que, independete do frio, do calor, da idade, as pessoas vão às ruas. Aquelas velhinhas, tão frágeis que se o vento for mais forte ou as levam para longe, ou as parte ao meio, saem às ruas, cobertas de casacos, com suas bengalinhas, com seus andadores, o que for, mas elas (e os velhinhos também) sempre vão às compras, à academia, ao cinema. Diferente da vida social da 3ª idade em Belo Horizonte e outras cidades do nosso Brasil Baronil.

Acho que pelo fato de minha vó, antes ultra independente, e agora tão dependente, não fazer esses passeios (por ser teimosa, por problemas de saúde, mais por ser muito teimosa), adoro ver vozinhos e vózinha passeando, se divertindo, fazendo compras.

Bom, mas não é exatamente sobre vozinhos e vózinhas que eu quero falar. Enquanto uma geração, que viu guerras e epidemias, racionamento de comida e mudanças climáticas, aproveitam o dia, o sol, as pernas que ainda os sustentam, existe outra que parece não ligar muito para o dom que temos, que é andar, correr, pular.

Em todo o país, existe essa nova cultura de buggies e pushchairs. Vejo crianças esperneando para não terem que se sentar nos carrinhos, enquanto pais lutam com elas para que elas fiquem ali. Prá que isso? Sério? Crianças de quatro, cinco anos de idade são empurradas pelos pais pelas ruas ao invés de serem crianças e andarem, correrem, entrarem em lojas de doces, enquanto os pais se descabelam correndo atrás. Parece que os pais ficaram preguiçosos e fazem qualquer tipo de economia no quesito energia física. E vou te falar mais: não vejo os carrinhos de crianças cheios de sacolas pendurados pelos lados. Seria, então, o uso compulsório da cadeirinha pelas crianças uma forma de ajudar a carregar as sacolas e não ter que lidar com crianças correndo pela cidade?

Me desculpem as mães que acham a cadeirinha de criança a melhor invenção do homem (depois da chapinha), mas cara, isso não é normal, e realmente me irrita!

 

Anúncios

Sloe Fair

Sabe aqueles parques de diversão, meia boca, que tem maçã-do-amor (toffee apple), algodão-doce (candy floss) e espingardas de chumbinho? Então, em Chichester, tem, anualmente a Sloe Fair. M e eu fomos com um casal de amigos, Allen e Ania. Te falar, fora o frio do cão, a mão congelada, me diverti horrores!

Esmaltes – Quick Color Sally Hansen

Primeiramente, quero explicar uma coisa. Muitas pessoas chegam ao blog com termos de pesquisa como “não pentear o cabelo faz mal?”, “vantagens de não pentear o cabelo”, e coisas do gênero. Então, vou explicar umas coisinhas. 1- Obviamente que eu penteio o cabelo. Sempre que o lavo, penteio o cabelo. A nova penteada acontece no próximo banho OU se o vento bagunçar tanto o meu cabelo que ele vire um grande dread lock. 2- Não pentear o cabelo não traz nenhuma vantagem. O cabelo precisa do óleo do couro cabeludo para se hidratar, então crianças que não gostem de pentear o cabelo, façam isso pelo menos uma vez ao dia. A tia aqui não gosta de pentear o cabelo e só o faz nessas duas ocasiões, e tá mais que bom!

Então, como prometido, fiz um vídeo como o novo ultra mega produto da Sally Hansen. Não vou falar muito porque quero ver muitos cliques nesse vídeo hein!? E pros homens que acessam, vejam o vídeo para, pelo menos comentar do meu novo cabelitcho! Só aceitarei elogios! Já vou avisando! Hahaha

Entonces…

O iutubiu resolveu funcionar, e meu vídeo tá bombando! Mentira! Ainda nao! hahahah

A ausencia…

Gente, to meio longe do blog opr motivos juntos. Estamos mudando de casa, entao, ta aquela coisa de caixas para um lado, caixas para o outro, separa o que leva, separa o que doa…

Logo logo vo voltar aqui com um post sobre uma canetinha que vai falir (de novo) a Bruna! ahahhaha

Beijoca

Praticidade Inglesa

Nunca vi gostarem tanto de Natal como os ingleses. Parece que eles literalmente vivem para o Natal, assim como muitos de nós, brasileiros, vivemos para o Carnaval (não me incluo nesse nincho. Carnaval para mim já passou. Prefiro uma coisa mais tranquila, ainda que seja ficar em Belo Horizonte – praticamente um pedido de ajuda profissional, admito).

As lojas já tocam músicas de Natal, decorações então, nem se fala (minha mãe coleciona aquelas casinhas, bonitinhas, que acendem as luzinhas, que tem padaria, confeitaria, tremzinho, imaginem o tanto que não estou louca para comprar 300 casinhas para ela? Mas e a mala?!). Em Chichester, saiu no jornal que foi votado, e diante das dificuldades financeiras enfrentadas pelo município, esse ano não haverá luzinhas de Natal espalhadas pela cidade. A população ficou absolutamente louca, e agora, será feita nova votação.

Mas então, aqui se compra presente para todos da casa (o que muito se diferencia da minha onde apenas mamys gasta seu suado dinheiro para comprar presentes pra filharada – eu, meu irmão e meu padrasto – e volta e meia ganha um ou dois), cartões de Natal são algo que não pode faltar, bem como uma bebidinha na manhã de Natal que é uma mistura de suco de laranja com champagne (E sim, é uma delícia). Como todos ganham presentes, já imaginou a confusão, o desespero que é comprar tantos presentes?

Como solução, muitas lojas, como a Debenhams, fazem kits, bem baratinhos, para você poder presentear seus amados, sem erro (oke, admito, presentear suas amadas – raramente vejo kits para homens).

Solução perfeita. Não posso dizer que os produtinhos são da MELHOR qualidade, mas os que eu tenho, são bons sim.

 

O frio é…

Adoro frio, sempre fui uma pessoa muito mais ligada ao frio que ao calor. Mas admito, nem sempre sou fã do frio. Por isso decidi criar minha própria lista de prós e contras dele.

Prós

  • Casacos, botas. Todo mundo lindo, gordurinhas escondidas, todo mundo elegante
  • Comidinhas mais saborosas. Hmm Fondue!
  • Ficar em casa com os dignissimos companheiros/namorados/amantes/maridos numa sexta à noite para assistir um dvd é tranquilo
  • Chocolate
  • Vinho (Rosé, de preferência) e chocolate
  • Spooning!!!
  • Cabelos lindos e sedosos (secador bombando, ai você pensa, já tô estragando a cabeleira, bora fazer uma chapinha!)
  • Cachecol, luvas, chapéus, gorros

Contras

  • Pele ressecada
  • Nariz tão gelado que você se pergunta se já se formaram estalactites no seu pulmão
  • Mãos geladas, all day long
  • Tomar banho. (ah vá! Alguém aqui ADORA tirar a roupa quentinha, andar no piso gelado e se arriscar no chuveiro, que pode cair aquelas gotas geladas?)
  • Secar o cabelo (uma vez que o secador ligou, você tem que terminar de secar o cabelo propriamente. Quem tem cabelo cumprido – como moi – sofre com a preguiça!)
  • Vento. Se vento já me irrita em dias normais, imagina em dias gelados?
  • Quilinhos extras por causa do chocolate, dos casacos (o que os olhos não vêem…). Como não reparamos os quilinhos extras por causa que sempre estão escondidinhos, quando nos olhamos no espelho, ao sair do banho, por exemplo, nos perguntamos: “e você gordura localizada, apareceu aqui com convite de QUEM?”
  • Mau-humor de quem ama verão. Tem coisa mais chata do que pessoas que vivem tentando acabar com sua felicidade. Você espera SEMANAS (não vou mentir que aqui na Inglaterra os dias quentes se contam nos dedos) para o inverno finalmente chegar, ai chega um caboclinho (HELLO MR. M) e começa a falar “aww this weather is so depressive” “aw i hate winter, let’s go to Brasil”.

 

Natal chegandooo!!! UEBA!!!

Swatches Mega

Minhas unhas estão sofrendo. O frio tá acabando comigo! Sério! O que antes eram mãos hidratadas e macias como seda hoje são ásperas como lixa de parede.  Bom, não exatamente hahaha

Então, minhas unhas estão, sim, sofrendo. Primeiro dei uma “podada” nelas porque as luvas que eu tinha estavam ficando pequenas por causa delas. E também porque algum esmalte que eu usei, literalmenete, manchou minhas unhas. Sabe aquelas unhas de velhas, amareladas. Mr. M que sempre vê o lado bom que me irrita das coisa, falou que já estava pronta pro Halloween! Hahaha very funny!

Então, Natal passarei em casa. Como faltam pouco mais de dois meses (hoje eu ouvi, numa loja, “all i want for christmas is youuuuuuuuuuuuuuuu” da Mariah Carey, ou seja, Natal tá batendo na porta já moçada!), e minha prima Carol vai querer metade dos meus esmaltes, e como eu fico falando pra ela que comprei mais um aqui, comprei mais um ali, comprei mais um acolá, fiz um swatch master para todos os meus 12 novos esmaltes. Hahaha Unhas não podendo receber nenhuma camada colorante, então tive que arrumar um jeito.

Apresento-lhes os esmaltes.

O nº6 eu ganhei junto com a revista Cosmopolitan desse mes!

Cath Kidston

Vou falar dessa lojinha que abriu aqui em Chichester, mas que tem na Inglaterra toda. A Cath Kadiston é uma lojinha que vende cacarecos. Quase tudo que você imaginar, vende lá. Roupas, acessórios, bolsas, sacolas, kits de costura, roupa de cama, pijama, panela, jogo de chá, de copos, luvas para forno, cortinas e até papel de paredes. Admito que não é uma lojinhas que os maridos/namorados/filhos (homens) gostam de ir, até porque não tem jeito de entrar, dar aquela olhada e sair. Você vai fuçar, tentar achar alguma bagatela… Coisas de mulher.

Vale a pena visitar. A loja traduz todo o estilo english country de ser. Florzinhas, delicadeza, mulherzinha.

Tin Tin??

Mulher inglesa bebe horrores. Isso é uma das primeiras coisas que um foreigner percebe ao adentrar os limites territoriais britânicos (puots eu domino muito o português). E muita mulher bêbada junta, só pode dar em uma coisa: briga.

Não sei bem pelo que elas brigam. Se é porquê a outra copiou o tom do batom, se é porquê ela comprou uma bota de couro falso na New Look por £9.90, não sei mesmo. O que sei é que inglesas, são, EM GERAL, barraqueiras. Falam alto demais, dão esparro, not my favorite kind of person, sabe?! Mas como tenho sogra, cunhada e a grandma (que é uma lady em pessoa), vou fingir que está tudo bem, está tudo muito bem (como diria minha amiga, do peitcho, Ivete Sangalo).

Então, você é dono de um bar/pub/club, você quer vender bebidas alcoolicas para as sem limites, o que você faz?

Isso. Garrafa de plástico. Tem toda uma gama de produtos de plástico: taças de vinho (sim porque é chique ficar segurando uma taça dum vinho ruim prá bósss a noite inteira), pints (copos onde se servem a cerveja – 660ml. Sim, o copo de cerveja daqui cabe o mesmo tanto que você divide com mais 4 amigos em copos americanos), garrafas e afins.

Se acaba com brigas, eu não sei. O que sei é que não tem o mesmo gosto. É como beber cerveja em xícara de café, champagne em copo de plástico. Não dá!

=Esse post foi patrocinado pelo Eu Sou Chique Benhe Ltda.