Eu tolero, tu toleras, ele é intolerante

Intolerância.

Não estamos livres dela. Há intolerância na medicina (intolêrancia à lactose, à camarão), na escola (quando o atraso não é perdoado), no trabalho…

Hoje, foram dois casos de intolerância, em dois lugares tão distantes do mundo, que eu decidi escrever sobre isso. Fiquei tão mexida com isso, que deixei de escrever sobre a nossa preparação “humana” para a Copa do Mundo (já se fala muito na infraestrutura né?!)

– O programa CQC tem um quadro que se chama Povo Quer Saber, onde pessoas comuns (ou nem tanto) fazem perguntas à pessoas que estão, de alguma maneira na mídia. O “famoso” de ontem foi Jair Bolsonaro. Quem é do Rio deve saber mais sobre ele. Ele é um ex-militar, que defende a Ditadura (engole essa moleque), e tem um discurso nazi-fascista. É contra as cotas em universidades, homossexuais e racista. Então, Preta Gil fez uma pergunta a ele, e este senhor, simplesmente a distratou. Não só a ela, mas também à sua família. Espia só o vídeo.

– Uma pessoa conhecida minha, estava me contando como está de saco cheio de pessoas de países árabes chegarem na Inglaterra e tentar manter suas culturas, ao invés de se adaptar à deles. O caso foi o seguinte. Um turco parou o carro próximo a esta pessoa e pediu informações de como chegar a uma cidadezinha próxima a Chichester. Após as indicações, o motorista não entendeu muito bem, e ofereceu seu anel em troca deste conhecido entrar no carro e levá-lo até o local. Um simples Não rola, tô atrasado seria o suficiente para dar um chega prá lá no turco. Este conhecido ficou extremamente enraividecido (existe essa palavra? Se tiver errado me corrijam) com a oferta. Me contando o caso parecia que este conhecido foi ofendido, que o turco quase o arrastou para dentro do quarto. Calma, conhecido. Ele queria APENAS saber o caminho. O que tem o costume dele? Não está causando mal a ninguém! Ai, vem o conhecido e fala “se você vem pra um país estrangeiro, o mínimo que deve fazer é abster de seus costumes e se adaptar ao do país em que se encontra”. Sério? Quer dizer então que, quando você vai pra França tem que andar todo fashionzinho e tomar menos banho e usar mais perfume? Que se você é mulher e vai pra Itália tem que ser linda, e maravilhosa, mas depois dos filhos vira uma “mama”? Quando vem ao Brasil tem que sambar e jogar futebol?

Sem mais.

 

Anúncios

6 pensamentos sobre “Eu tolero, tu toleras, ele é intolerante

  1. Aqui na Espanha também rola essa defesa de que o estrangeiro que venha TEM QUE adaptar-se aos costumes espanhóis, ou seja, comer paella, falar gritando, não agradecer os favores, evitar tomar banho no frio, coisas assim que você deve saber. Inclusive, há prefeitos que querem EXPULSAR os estrangeiros (entenda ÁRABES) que não se adaptaram à Espanha, esse país de futuro!!!!
    E sobre Bolsonaro… Pergunto: como ele está no poder? Pessoas com a MESMA MENTALIDADE dele apóiam a sua candidatura. Pessoas racistas, neo-nazi, fascitas, membros do OPUS DEI e blá blá blá defendem este tipo de estupidezes e GOVERNAM NOSSO PAÍS. Salve, salve!

  2. obrigada pela explicacao breve e clara sobre a situacao do dep. bolsonaro. eu ja tinha lido umas manchetes de jornais mas nao sabia detalhes.
    ele eh deputado!!! o pior eh que no final eh sempre mais grave do que parece e vai alem dele, ta nos que o apoiam. vamos ver no que vai dar.
    eu entendi mais ou menos a situacao com o turco. voce diz que
    “o turco quase o arrastou para dentro do quarto.”
    ate entao eu tinha achado que o contato tinha sido na rua, com um no carro e o outro fora do carro.
    isso mesmo, de alguma forma todos sonhamos encontrar o conforto da nossa cultura e as delicias que a nova cultura traz. eu so teria dado um tchau e ido embora.

  3. vc escreveu que o turco quase o arrastou pro QUARTO. Perdi algum parágrado?!

    assim, eu acho que tudo tem um limite né?
    Se o turco não entendeu, nada melhor do que indicá-lo perguntar para outra pessoa, que talvez explique melhor.

  4. Em mais de 4 minutos de video não se aproveita uma vIrgula do que esse sem-vergonha fala, né? Aliás, a maior coletânea de merda já dita em 4 minutos. Tão impressionante que eu ignorei completamente a história do Turco. O que foi mesmo? Vou ter que reler.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s