Produtinho – Nivea SOS

Uma coisa que sempre me judiou na Inglaterra foi o vento. O vento que embarassa meus cabelos, o vento que levanta meu vestido e o vento que resseca meus lábios.

Os lábios ressecados, que ao bater do vento, chega a queimar, é horrível. E quanto mais passamos a saliva pior fica, mas aí ficamos naquela situação que o lábio necessita de uma hidratação e pá pum… lá vai saliva nos lábios de novo.

Mas eis que a magnanima, salve salve Boots me apresenta o Nivea SOS. Obviamente que não é só na Boots que vende, mas foi onde eu vi pela primeira vez.

Ele não é somente uma manteiga de cacau, ele é como se fosse uma pomada mesmo [vide foto 2]. Segundo suas especificações tem óleo de Calendula e Pantenol (aí vem aquele shampoo que a Gisele Bunchen faz propagando, Pantene… Sim é o mesmo agente). Ele faz com que se as mucosas e pele fiquem com aspecto menos quebradisso, mais saudável e hidratado.

Super indico pra quem tem os lábios sensíveis. Nunca achei pelos lados de cá do Atlântico, então se está por algum lugar e deparou com ele, pode comprar!!! E depois me agradece!

Foto 1

Foto 2

Meme…

Memê. Ainda não sei o que significa, mas já havia tempos que eu percebia que eu devia ser a única pessoa que tem um blog e não havia respondido a um meme. Ai chega a Bruna e me indica pra responder. Por respeito a nossa amizade (virtual soon to be real), eu irei me esforçar e responder ao meme 9 coisas aleatórias sobre mim que as pessoas não saibam ou coisa assim.

1-      Queria ter feito outro curso que não fosse Direito. Acho que aos 17 anos você não tem nem maturidade para escolher sua profissão, nem para “peitar” seus pais que exigem você fazer um determinado curso.

2-      Sou uma pin-up enthusiast. Amo aquelas mulheres dos anos 50/60. Não há nada mais feminino (e seqsi) que as pin-ups (pra quem não sabe o que são, sabe aquelas propagandas antigas da coca, que tinham umas mulheres bonitas, charmosas, tomando coca? Então, tipo isso)

3-      Poderia cobrir meu corpo de tatuagens, mas tenho medo de quando envelhecer e ficar esquisito.

4-      Não gosto de bolonhesa. Nem lasanha, nem macarrão, nem nada que leve carne moída e molho de tomate. Ecati!

5-      Eu gosto de misturar feijão (preto) e macarrão! Se tiver farinha e pimenta, pode colocar junto!

6-      Antes do Mr. M só usava salto. Muito salto. Saltos altíssimos! Apesar dos meus 177 de altura, eu tacava o maior salto possível, encarnava a trava que existia dentro de mim e saia linda e altérrima! Hoje tenho pavor. Dói calcanhar, dói dedo, dói costas, dói panturrilha!

7-      Trocaria um sanduba enorme com muita carne, queijo, batata palha e etc, por uma salada bem feita com azeite balsâmico. Hmmmmm….

8-      Leio livros compulsivamente. Quero um dia escrever o meu.

9-      Corrijo mentalmente pessoas que falam errado!

Convoco as seguintes pessoas para responder ao meme.

Eve

Ernani

Ana Luísa

Mel

Karine

Ana Krueger

Gabi

Adeus

Com pesar e dor no coração, na tarde de hoje, despedi duma guerreirona, um tanto machista, que falava palavrão e adorava assistir Silvio Santos. Que ouvia Zeca Pagodinho e Luan Santana. Que brigava até com a sombra. Que não gostava de cobertor nem de casaco pesado! Que usava baton “vermelho rapariga” e apesar das condições financeiras favoráveis só comprava bolsa nova quando a velha estava em estado de conservação completamente acabada!

Vovó, sentiremos sua falta! Ilumine nossas vidas que ficaram tão mais sem graça sem a Senhora por aqui! O céu está em festa! E nós tentaremos entender que foi melhor assim, que eles precisam da Senhora agora lá em cima! Para sempre estará nas nossas mais doces memórias.

Menos de 1 km daqui…

O ambiente não é o mais agradável. Os muros cobertos de tintas, grafites e pixações te recepcionam de forma um tanto quanto agressiva. Muitas crianças de uniformes sobem de mãos dadas com suas mães. A cada minutos diversas motocicletas sobem em direção ao topo. Penso positivo, esculpo o sorriso mais confiante que eu possa conseguir, e sigo em frente. Minha primeira experiência naquele lugar tinha sido um pouco assustadora.

Levava minha goxtosinha (minha afilhada Gabriela) e sua mãe em casa quando um homem, todo vestido de branco (calças adidas brancas, blusa branca, casaco branco e uma boina branca) para no meio da rua e impede que eu possa prosseguir o caminho. Vem até minha janela e informa que eu não iria prosseguir. Iria manobrar o carro em um lugar apontado por ele e voltar para de onde eu vim. Meu apelo em levar minha afilhada o mais próximo de casa, mas foi em vão, tanto por parte daquele homem, que mais tarde descobrir ser um dos traficantes do morro, quanto pela Rosa, mãe da Gabriela, que pediu que não insistisse, que aquele ponto já estava legal.

Quando subia por aquelas vielas nesta tarde não me senti intimidada. Com os vidros abertos saudava as pessoas com um Opa! Ou Hey. Subi o morro e uma coisa foi impressionante. Os becos tão pequenos, e com tanto fluxo de carros criou uma forma de código de conduta de trânsito. Se você sobe o morro, os carros (e microonibus) que descem devem ceder espaço a você. Ai você pensa: num beco de favela, vem um microonibus, não tem nem jeito. Nem querendo dá para dar espaço para o outro carro. Foi o que eu pensei quando eu me deparei com o miquinho (charmoso apelido para o microonibus amarelinho que corta a favela). Mas diferentemente do que eu esperava, e para minha vergonha, o motorista, sem pestanejar, deu ré, se enfiou em um outro beco e abriu espaço para mim. Hã?!?!?!?!

A harmonia que eu vi naquele lugar foi impressionante. Mesmo em meio àquela bagunça de becos e vielas, morros e crateras, árvores e jardins, a organização é mais do que visível. Fiquei imaginando se aquela mesma situação em algum bairro de classe alta o mesmo acontecia. Imaginei a cena e concluí que o que os dois carros que disputassem o espaço se enfrentariam, desligariam o motor e tentariam vencer o outro pelo cansaço.

Favela, comunidade, morro, chame o que quiser. Hoje, eles me deram um banho de cidadania, um banho de descência e um banho de vergonha na cara!

Thames River Cruise

Enquanto rola uma festa junina aqui perto de casa, e o DeeJay só sabe tocar músicas antigas e funk de péssima categoria, resolvi escrever sobre um programinha divertido para se fazer em Londres, de preferência no verão.

Estamos oficialmente na alta temporada européia, já que, de acordo com o calendário maia eles estão no verão, aproveitemos o ar puro e quente da capital da Inglaterra e façemos um passeio diferente.

O passeio de barco pelo Rio Tames é uma visão diferente que a maioria dos turistas tem de diversos pontos turísticos de Londres. Você tem, por exemplo, a possibilidade de passar sob a London Bridge, de ter uma visão de um angulo privilegiado do Big Ben…

O roteiro que eu escolhi quando fiz esse passeio foi pegar o Catamaran em Westminster e descer em Greenwich. O dia estava ensolarado, bem gostoso. Aconselho que você faça esse passeio se não houver possibilidade de chuva! Acredite, não chove todo dia em Londres, da mesma forma que não faz sol todo dia no Rio de Janeiro.

O passeio demora um pouquinho, então se você está naquelas de passar 2 dias em Londres, eu realmente não recomendo o passeio de barco, pois ele toma uma boa parte do seu dia. Mas se você tem tempo folgado para explorar Londres (e outras cidades também), senta e anota as dicas!

– 2for1 voucher: esses vouchers 2for1 são uma mão na roda. Você compra um e ganha o outro, maaaaannnnssss você tem que apresentar o voucher ou o ticket de trem laranja (os tickets dos trens da national rail). Para pegar seu voucher, clique aqui.

– Picnic. O mundo capitalista funciona assim, se é um lugar restrito, as poucas alternativas de comida boa e barata, vão acabar sendo boa e cara. Leve uma mochila, com uma canga (ou cobertor xadrez), comes e bebes. Lembra daquelas excursões do colégio pro zoológico que você levava chips, refrigerante em lata, bala, chiclete, etc. Não compre lá, pois vai ser mais caro.

– Evite rolar pelo gramado morro abaixo, você pode atropelar algum turista francês fedido, que por algum motivo que só Deus pode explicar o motivo de tomar sol de roupas no meio do morro!

– Você vai estar em Greenwich, logo você vai querer uma foto como esta.

Foto do google images

Foto do google images

A fila será imensa, você vai ficar lá horas, disputando o espaço com um bando de turista (não que você não seja, mas eu me refiro mais ao turista tipo japonês com câmeras ultra poderosas), para uma, em teoria), simples foto em cima de uma linha. Lembre-se, a linha de Greenwich é grande, elá dá a volta em meio mundo, então aquele lugar onde todos estão tirando fotos não é o único. Ao descer as escadas, à sua esquerda (tem um portãozinho, que eu não pestanejei em abrí-lo) , no muro, a linha continua, pintada no muro e tudo, então, se você não quiser enfrentar a fila, é uma boa opção.

Foto google images

Foto google images

Espero que vocês aproveitem as dicas zúppppper úteis.