Guia prático para bom relacionamento com ingleses.

A ideia desse guia surgiu de uma situação chatérrima que M. e eu vivemos, que não vou transcorrer aqui, pois creio que os autores possam ser leitores deste blog.

– Você, seu/sua namorado/namorada: se você está sozinho, acompanhado de um grupo de amigos, não faz muita diferença. O agarramento com seu amado é preferível quando vocês estiverem sozinhos. Mesmo se não tiver ninguém conhecido ao redor, tem gente olhando. Tem famílias, idosos. Guarde o carinho ardente para um ambiente fechado, sem a presença de outros. ÓBVIO que existem pessoas que dont give a flying monkeys e se enrosca e desenrosca na frente de todos! Mas te digo, tal comportamente não é bem visto.

– Fotos de crianças lindas e sorridentes do parque: Você está lá no parque da cidade da sua preferência e vê, surgindo dos céus, aquela criança linda, sorridente, com um sorriso maravilhoso. Você pensa: vou tirar mil fotos para mostrar para todos em casa como as crianças daqui são lindas. PÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉ! Wrong! Na Inglaterra, existe toda uma cautela em relação à proteção da imagem de crianças. Acho que pela possibilidade de pedófilos se esbaldarem com fotos de crianças lindas. Em alguns parques, inclusive, existem placas falando que é proibido fotografias. Sério. Respeite isso! Se der algum problema, até você provar que o único objetivo de suas fotos é fazer com que seus entes queridos emitam um melódico OWWWNNNN você estará em serious trouble.

– Sou esperto e furo fila: vai bobo! Vai furando fila pra você ver. As pessoas gritam, falam sobre sua nobre atitude. Furar fila, além de te dar atestado de idiota e mal educado, pode fazer eclodir uma briga! E em se tratando de ingleses, eles adoram uma briga. Nem que seja discussão. Ah, se você brigar numa baladgenha, pode ser processado por ASBO – anti social behavior order e, diferentemente, dessas terras tupiniquins, dá cadeia sim!
– Caixa de loja: por alguma razão que transcende meu entendimento, é esperado que, assim que você pague suas compras (lojas, supermercado, cinema), você retire suas sacolas, agarre o troco e se vire. Não tem dessa de arrumar o troco na carteira enquanto estiver na frente do caixa. Discordo disso, bato o pé que eu estou certa em demorar um pouquinho mais para arrumar minhas compras, mas a verdade é: as pessoas da fila vão te olhar de maneira tão desprezível que você vai jogar o troco dentro da bolsa e dar no pé. Isso quando a própria atendente não te olhar com olhos de desprezo e fizer cara de que você está tomando o tempo precioso dela.

– Se está na Inglaterra, fale inglês britânico: okay, você aprendeu inglês assistindo FRIENDS, e seu curso no C.C.A.A. te ensinou daquela forma, mas na Inglaterra, calças são TROUSERS (leia-se trauzers) e não pants. Pants são cueca. Calcinha é KNICKERS (leia-se niquers). Fila é QUEUE **thanks Bruna** (leia-se quiu). Prá levar é TAKE AWAY. Pela própria antipatia que ingleses tem em relação a americanos, a língua inglesa americana é vista com a mesma, se não com mais antipatia ainda.

Seguindo essas dicas, você será muito mais bem quisto e visto!

Anúncios

Guia de Férias NPC

Foram quatro semanas com a melhor companhia que eu poderia querer. Mr M conseguiu umas férias super blaster longas e ficou o tempo todo aqui.

Nessas quatro semanas fomos a diversos lugares nunca dantes visitados e resolvi colocar nosso roteiro (com minhas observações para aqueles que queiram dar umas voltinhas pelos lugares que fomos).

Bom, vamos começar pelo começo:

– Belo Horizonte, minha cidade do coração: Zoológico, Mercado Central, Paraglading.

– Ouro Preto

– Salvador

– Praia do Forte

Vou preparar as fotos, os detalhes, as informações, e a partir dessa semana o blog tá com força total. Infelizmente sem Mr M!

Dívida

Sei que há algum tempo que deixei de escrever aqui, mas tenho um bom motivo! Mr. M ainda está por aqui!!! A whole month!

Diante disso me permiti ignorar emails, Facebook, twitter, o blog… Sexta (5 horas da manha) ele se vai. Aí prometo voltar com força total.

Não vou fazer um post de Dia dos Pais, porque, né?! Todos sabem como eu amo e sinto falta daquele homenzarrão! Beijo

Mas que droga!

A tal da droga me irrita. Se você quer usar e abusar da bichinha, problema e responsabilidade toda sua! Não conte comigo para acobertar qualquer coisa relacionada a ela!

Talvez seja muito ingênua, mas é uma bobagem usar de um artificio para sentir coisas! Não há argumentos que me façam mudar de idéia quanto a isso!

Estive pensando, já dizia a filósofa Maria das Graças Xuxa Meneghel “droga é tão ruim que você tem que esconder”. Já perceberam que quem usa numa festa, por exemplo, sempre dão uma saidinha, fugidinha, perdido… É meio que anti social.

Não estou aqui para dar lições moralistas, mas é que quando se passa uma semana numa vila de pescadores na Baea, às vezes, alguns comportamentos extrapolam o limite do bom senso!