Cavaleiro do Céu, Ogum!

São Jorge, Ogum, Sigurd..

Ele deve ser uma das figuras folclóricas mais aclamadas por religiões ao redor do mundo. Muitas vezes o vemos em seu cavalo branco, com uma espada em punho, matando o dragão, outras vezes conseguimos, nitidamente, vê-lo nas sombras da lua.

Quem era São Jorge?

Segundo tradição, São Jorge nasceu na região da Capadócia, Turquia. Ainda criança mudou-se para a Palestina. Em sua adolescência, entrou para a carreira de armas, para assim satisfazer sua natureza combativa. Foi promovido a capitão do exército romano devido sua dedicação e habilidade.

 Não era de família pobre, pelo contrário. Com a morte de sua mãe, pegou parte da fortuna e se dirigiu para a corte do Imperador. Ao perceber a crueldade que eram tratados os cristãos, distribuiu toda sua riqueza aos pobres.

Era fiel defensor dos cristãos. Em afronte ao Imperador, que defendia a morte de todos os cristãos, ele se levantou e afirmou que os romanos deveriam se converter ao cristianismo.

Indagado por um cônsul sobre a origem daquele afronte, Jorge informou que  ela vinha da Verdade. “A Verdade é meu Senhor Jesus Cristo, a quem vós perseguis, e eu sou servo de meu redentor Jesus Cristo, e Nele confiando me pus no meio de vós para dar testemunho da Verdade”.

O Imperador tentou fazê-lo desistir do cristianismo por diversas vezes e a cada recusa, torturava Jorge, e ainda assim, Jorge reafirmava sua fé. O martírio que passava Jorge tomou notoriedade, e fez com que Jorge ganhasse diversos defensores, inclusive a mulher do Imperador, que se converteu ao cristianismo. Em 23 de abril de 303, diante da falta de êxito em suas tentativas de fazer com que Jorge desistisse de sua fé, o Imperador mandou degolá-lo.

A imensa devoção a São Jorge começou antes mesmo de sua morte, e após ela aumentou ainda mais. O Imperador Constantino mandou erguer um enorme oratório aberto aos fiéis. Ao longo dos anos, Constantinopla contava com pelo menos cinco igrejas dedicadas a São Jorge, no Egito haviam quatro igrejas e quarenta conventos.

São Jorge (Saint George) na Inglaterra

Mesmo que hoje em dia o Santo não tenha tanta importância na terra da Rainha quanto tinha a alguns anos, São Jorge ainda é a figura religiosa mais relacionada ao país. Mr M, por exemplo, indagou de onde vinha essa fé em São Jorge, principalmente nas pessoas do Rio de Janeiro. Para ele, São Jorge era uma figura inglesa. Mero engano, dear M.

Não se sabe ao certo como ele se tornou padroeiro da Inglaterra. São Jorge já era conhecido nas ilhas britânicas antes da conquista normanda.  Acredita-se que, no período das cruzadas, os soldados que retornavam influenciaram na disseminação de sua popularidade. Acredita-se também que o Santo foi escolhido padroeiro da Inglaterra, quando, em 1348, o Rei Eduardo III (Edward III) fundou a Ordem dos Cavaleiros de São Jorge. De acordo com a história, foi o Rei Artur (King Arthur) que, no século VI, colocou a imagem de São Jorge em suas bandeiras.

Hoje em dia, apesar de no passado, o dia de São Jorge ser o feriado nacional mais importante, ele não é mais comemorado. Em pesquisa popular, a BBC perguntou qual deveria ser o santo nacional. São Pedro ganhou, recomendação que desde 1893, perdura até hoje. São Jorge chegou a ser rebaixao a santo menor de terceira categoria, de acordo com hierarquia católica, e seu culto era opcional. Em 2000, o Papa João Paulo II deu nova relevância a ele.

Infelizmente vemos hoje, St. Patrick’s day ser mais comemorado do que o dia de São Jorge.

São Jorge no Brasil

Acredita-se que o culto a São Jorge chegou ao Brasil graças a Portugal. Óbvio para mim. São Jorge teria aparecido em Portugal em 1147, com a ajuda dos ingleses. No reinado de Dom Afonso VI “São Jorge!” como grito de batalha, virou regra. Com Dom João I de Portugal, São Jorge virou padroeiro de Portugal. Em seu reinado, sua imagem, aquela do santo em cima do cavalo, fosse transportada na procissão de Corpus Christi. Séculos mais tarde, chegaria ao Brasil.

No Brasil, mais uma vez, os brasileiros conseguiram inovar. Associaram São Jorge à Lua. Essa associação tem forte influência africana. Na religião da umbanda, o santo é associado a Ogum (quem conhece as músicas do Zeca Pagodinho já sabia disso néam). A tradição diz que as manchas na lua representam o santo, seu cavalo e sua espada, pronto para defender quem buscar sua ajuda.

SALVE JORGE!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s