You’ve got text msg

“Foram três as maçãs que mudaram o mundo: a de Adão e Eva, a de Newton e a de Steve Jobs”.

Ah não Dona Miss Cherry, você não vai começar a fazer uma Ode à Steve Jobs, né?!

Acalmem seus corações. Não irei fazer uma Ode à Steve Jobs, mas mesmo involuntariamente ele tem a ver com esse post.

Quando cheguei na Inglaterra, pela primeira vez, Mr. M me entregou um celular e um sim card da O2. Me informou empolgadíssimo que aquele sim card me daria mensagens ilimitadas, se colocasse, por mês apenas £10. Mensagens ilimitadas? Nunca vi, nem tinha ouvido falar. Pensei que seria mais jogo pra mim, me darem um plano com 50 mensagens por mês, afinal nunca fui muito de mandar mensagens de texto! Sempre fui fiel defendedora da ligação, da voz, da emoção.

Andando nas ruas, as pessoas andavam vidradas na tela do seu dispositivo móvel. Andavam e digitavam numa frequência que só agente sabe velocidade, sem tropeçar, sem parar para ver se o carro vinha em direção a eles. Mr.M não me ligava. Muito pelo contrário. Recebia mais ligações do digníssimo quando estava no Brasil que quando na Inglaterra, mas as mensagens… pelo menos umas 20 por dia, isso quando o dia era um dia ocupado. Comecei a tentar andar e digitar no celular. Não, não era possível. Precisava de mais treinamento.

Quem aqui não sabe de cor onde ficam as letras num teclado de telefone? Adorava o fato que BEIJOS bastava digitar (quando já tinha aquele dispositivo que “adivinhava” o que você queria digitar) 234567 (vai lá, vou dar uma pausa para você verificar que eu estou certa).

Mr. M não gosta de falar ao telefone. Prefere mensagem, assim como 90% da população inglesa.

Com o tempo, a moda SMS chegou ao Brasil, e chegou junto com os smartphones. Quase já não se fala “te ligo”. Já é habitual dizer “te whatsappo”, “qualquer coisa te mando mensagem”. É por essas e por outras que TIM e CLARO já lançaram promoções de que você pode enviar mensagens ilimitadas por dia por apenas R$0,50 PARA QUALQUER OPERADORA!

E você acha que Steve Jobs não tinha nada a ver com isso? Foi ele quem colocou o facebook no celular para desespero das operadoras que arrecadavam bons R$0,70 POR MENSAGEM! Começou-se a mandar mensagens via facebook, fazendo desnecessário o envio do SMS. Ai veio Viber, Whatsapp, Skype, entre outros tantos.

Este post aceita patrocínios, inclusíve aceita, para fins de reviews, um iPhone para bunda (4s – for ass). Lembrando que o fornecimendo do iPhone para bunda gerará uma inveja ENORME no Mr.M. Sentimento que será bastante deliciado por esta que vos escreve.

N.A. : sabiam que a MULHER MAÇÃ (oi? Quem?) agradeceu ao Steve Jobs por ter criado a apple com o símbolo da maçã, símbolo que trouxe a ela a fama. Oi? Porfa apple woman!

Guia prático para bom relacionamento com ingleses.

A ideia desse guia surgiu de uma situação chatérrima que M. e eu vivemos, que não vou transcorrer aqui, pois creio que os autores possam ser leitores deste blog.

– Você, seu/sua namorado/namorada: se você está sozinho, acompanhado de um grupo de amigos, não faz muita diferença. O agarramento com seu amado é preferível quando vocês estiverem sozinhos. Mesmo se não tiver ninguém conhecido ao redor, tem gente olhando. Tem famílias, idosos. Guarde o carinho ardente para um ambiente fechado, sem a presença de outros. ÓBVIO que existem pessoas que dont give a flying monkeys e se enrosca e desenrosca na frente de todos! Mas te digo, tal comportamente não é bem visto.

– Fotos de crianças lindas e sorridentes do parque: Você está lá no parque da cidade da sua preferência e vê, surgindo dos céus, aquela criança linda, sorridente, com um sorriso maravilhoso. Você pensa: vou tirar mil fotos para mostrar para todos em casa como as crianças daqui são lindas. PÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉ! Wrong! Na Inglaterra, existe toda uma cautela em relação à proteção da imagem de crianças. Acho que pela possibilidade de pedófilos se esbaldarem com fotos de crianças lindas. Em alguns parques, inclusive, existem placas falando que é proibido fotografias. Sério. Respeite isso! Se der algum problema, até você provar que o único objetivo de suas fotos é fazer com que seus entes queridos emitam um melódico OWWWNNNN você estará em serious trouble.

– Sou esperto e furo fila: vai bobo! Vai furando fila pra você ver. As pessoas gritam, falam sobre sua nobre atitude. Furar fila, além de te dar atestado de idiota e mal educado, pode fazer eclodir uma briga! E em se tratando de ingleses, eles adoram uma briga. Nem que seja discussão. Ah, se você brigar numa baladgenha, pode ser processado por ASBO – anti social behavior order e, diferentemente, dessas terras tupiniquins, dá cadeia sim!
– Caixa de loja: por alguma razão que transcende meu entendimento, é esperado que, assim que você pague suas compras (lojas, supermercado, cinema), você retire suas sacolas, agarre o troco e se vire. Não tem dessa de arrumar o troco na carteira enquanto estiver na frente do caixa. Discordo disso, bato o pé que eu estou certa em demorar um pouquinho mais para arrumar minhas compras, mas a verdade é: as pessoas da fila vão te olhar de maneira tão desprezível que você vai jogar o troco dentro da bolsa e dar no pé. Isso quando a própria atendente não te olhar com olhos de desprezo e fizer cara de que você está tomando o tempo precioso dela.

– Se está na Inglaterra, fale inglês britânico: okay, você aprendeu inglês assistindo FRIENDS, e seu curso no C.C.A.A. te ensinou daquela forma, mas na Inglaterra, calças são TROUSERS (leia-se trauzers) e não pants. Pants são cueca. Calcinha é KNICKERS (leia-se niquers). Fila é QUEUE **thanks Bruna** (leia-se quiu). Prá levar é TAKE AWAY. Pela própria antipatia que ingleses tem em relação a americanos, a língua inglesa americana é vista com a mesma, se não com mais antipatia ainda.

Seguindo essas dicas, você será muito mais bem quisto e visto!

Dor de Cutuvelo dói!

Me deparei, logo de manhã, com a notícia que não apenas eu, mas que outras colhegas blogueiras que moram fora e tem relacionamentos com gringos, também sofrem bullying virtual.

Antes de mais nada, vamos a um momento de cultura inútil:

Dor de Cutuvelo é uma expressão muito usada quando se tem inveja, ciúmes de algo ou alguém. Pode ser também quando não se tem uma boa companhia, amigos, namorado, marido, ficante, caso, amante…

Já dizia o galã Chico Buarque na  música A Banda “ a moça feia debruçou na janela pensando que a banda tocava pra ela”. A dor de cutuvelo vem exatamente desse ato, ou efeito de manter os cutuvelos sobre uma superfície, pensando numa vida que não tem, ou que queriam ter. Um exemplo dessa posição que pode causar dor de cutuvelo é a demonstrada abaixo.

Apesar de muitas pessoas não acreditarem, se negarem a acreditarem, ou acreditarem que estamos mentindo, amor entre uma brasileira e um gringo pode SIM ser real. Sem nenhum interesse quanto à dinheiro, green card, possibilidade de mudar de país.

Não entendo como pessoas podem ver maldade num relacionamento assim, ainda mais quando são anos de atenção, cuidado, persistência (sim, persistência) e dedicação. Mr. M e eu, por exemplo, no dia 18 de Junho comemoraremos 5 anos juntos. 5 ANOS. E não me venham que é por comodidade. Nenhum relacionamento à distância é por comodidade, ninguém se mantém num relacionamento num outro país por comodidade. Comodidade é estar próximo a seus familiares e amigos. Não é abrir mão de muito mais coisas que vocês podem pensar para poder se entregar ao sentimento que ultrapassa barreiras e línguas.

– Post dedicado à , Nivea, Bruna e a mim!

Gula minha, gula sua

Inglaterra engorda. Sei lá, aquela coisa toda de almoçar sanduíche e jantar um refeiçãozona não nunca me faz nenhum bem. Sem contar da falta do café da manhã. Não que eu tome café da manhã, mas pelo menos um iogurte (com 50% do cálcio diário)!

O sanduíche, até que passa tranqüilo. Leva de casa. Compra o pão de forma integral, um queijinho, um presunto, um frango em tiras com molhos diversos que vendem no Tesco, Marks Spencer, etc. Mas o jantar, ah o jantar é phueda. Não bastasse o paladar de Mr. M ser um bucado refinado demais e demasiadamente calórico para meu corpitcho, sempre ouvi que refeição pós 6 da tarde não é aconselhável para quem quer manter o corpo de pilão, mas o que eu, pobre coitada, ia fazer?

Muito se pergunta sobre a culinária inglesa. Se você parar para penar, apenas alguns pratos irão vir a sua mente. Batatas. Roast Beef (que agente gentilmente chama de rosbife). E o que mais? Juro que não sei.

Se você perguntar algum inglesinho, ele vai te falar que nada mais inglês do que comida indiana. Oi? É, comida indiana. Tem um indian take away em cada esquina. Suponho, ainda que, a proporção de indians take away na Inglaterra é a mesma da de bares/butecos e afins em Belo Horizonte, ou mesmo das de faculdade de Direito.

Comida indiana, chinesesa, tailandesa, americana. Se acha de tudo numa cidade relativamente grande, mas a tal da comida inglesa, extremamente difícil. Fui levada pela família do Mr. M uma vez em um restaurante tipicamente inglês. Era uma casa de estilo Tudor, com o pé direito altíssimo, e como era época de Natal, o restaurante estava todo decorado. Lembro que foi a primeira vez que eu estive na Inglaterra, e apesar do meu inglês ser razoavelmente bom, limitadíssimo era meu vocabulário gastronômico. Mr. M, pobrezinho, teve que traduzir mais da metade do menu. Quem mandou?!

Se você me perguntar, novamente, quais, então, as comidas inglesas, vou continuar sem saber a resposta, mas resolvi fazer um menu inglês. Se você quiser se sentir lá, ou se você está de malas prontas e já quer se acostumar com os jantares, que tal seguir esse cardápio da semana?

(ANTIPATIA DA SEMANA: com os dias dos namorados chegando e o novo padrão de romantismo – leia-se casamento real – diversos hotéis, motéis e congêneres estão divulgado em rádio, tv e outdoors mensagens do estilo “venha sentir o luxo da realeza britânica na nossa suíte temática, especialmente para você e seu amado,no dia dos namorados – BREGA!)

 

Namorado gringo

Dia dos namorados chegando né?! Quem tá com o namorado por perto bom e quem não tá o sistema postal (e sites que vendem flores) tão aí prá isso, porque te falar uma coisa, dia dos namorados sem flor (mesmo eu que não gosto muito de flores) não é dia dos namorados. Se bem que eu meio que mudei meu conceito quanto a isso porque Mr. M não é lá uma pessoa que manda flores (aí ele vai e prá eu pagar língua manda um ultra bouquet de rosas vermelhas gregas né?!)

Então, estou escrevendo este post porque a Karine, do Ká.entre.nós, postou no twitter (me segue) um link de um post dela falando sobre relacionamentos com gringos, e resolvi contar (e adicionar) a minha versão.

NAMORADO INGLÊS by Ms. Cherry

1-      Afeto Público: Se você está esperando seu novo namorado inglês te agarrar e te dar aqueles beijos que splish plash todo mundo olhou e com água na boca muita gente ficou yeh yeh não espere. Não é porque eles são frios, eles são reservados. Com o tempo você se acostuma e começa a ficar irritada com os casais que se pegam horrores quando saem com os amigos.

2-      Amiga é amiga, namorada é namorada: Na maioria das vezes, por não ter essa coisa de sair ficando com azamiga, as meninas que rodeiam, ligam, chamam pra ir no cinema, realmente são amigas. Por mais estranho que possa ser, por mais ciúmes que você tenha, azamiga dele são (90% dos caso) só amigas. Lá existe essa coisa de homem e mulher podem ser amigos.

3-      Cama de Casal: Muitos ingleses vivem com os pais até poderem comprar um apê, uma casa, e hoje em dia tem ficado cada vez mais complicado conseguir o first morgage. Então, é comum os pais liberarem geral. Namorado pode dormir, viver, passar pra só tomar banho, na casa dos pais da namorado tranquilamente, sem ninguém achar esquisito (só não conte prá vó).

4-      Sogras: Quem foi que contou que sogra é bicho ruim? Não conheço um só caso de genro e/ou nora que não tem um carinho enorme (e verdadeiro) pela sogra.

5-      Aprender português: Não é porque você sabe o idioma dele que ele tem que saber o seu. Imaginem como seria chato você tentar ensinar o seu namorado/marido um idioma que ele não tem a menor noção de onde começa e onde termina. A conversa não flui, você fica de saco cheio. Então, a não ser que você estipule uma hora, de tal hora a tal hora agente brinca de falar português, você vai inserindo palavras no cotidiano até ele ficar fluente. Mr. M, por exemplo, sabe como ninguém o que “ECA, MELECA” significa!

6-      Forrózin maroto: Você vai querer ouvir suas músicas brasileiras e ele vai achar um saco. Não que eu goste de um forrózin maroto, mas foi a única coisa que eu lembrei que Mr. M tem pavor.

7-      Arroz e feijão: A sua alimentação, 90% de certeza, vai ser bem diferente da dele. Prá começar, ele não almoça. Ele come sanduíche. Ele não lancha. Ele janta. Então, se você quiser cozinhar e agradar aos paladares de ambos, deverão conversar muito. MUITO.

Educação turística

Guia prático de como se portar fora do país (leia-se Inglaterra)

Então, sou daquelas que me mordo de raiva com brasileiros esquecendo que tem o amanhã e se acabam em terras estrangeiras. Raiva mesmo. Tanta raiva que fingiria assumir o lado italiano do meu sangue e esquecer minha origem tupiniquim.

Se você não sabe se você é assim, leia as dicas abaixo para que, se eu te encontrar na rua, não tenha vergonha de dividir o mesmo país natal que você.

– LIXO: Muitos reclamam que não existem muitas lixeiras na Inglaterra, principalmente em Londres. O motivo é que as lixeiras podem ser esconderijos para bombas (lembre-se que lá é um lugar que está em constante risco de ataque terrorista). Então se você tem um lixinho em mãos, guarde até que aviste uma lixeira.

– FALAR ALTO: A não ser que você esteja em uma boate, pub, com música, que fica impossível de conversa em um tom de voz normal, não se deve falar muito alto, risadas muito alta, ou nada do nível alto. Se você estiver no tube mantenha silêncio, ou aquela conversa sussurrada, no máximo!

– FILA: Respeite a fila! Sério. Nada de ir pelas beiradas com o intuíto de entrar primeiro no ônibus. No tube é uma bagunça, mas se estiverem respeitando uma ordem, respeite também.

-FOTOS: você é turista, você quer tirar fotos, você quer ir na Abbey Road. Até ai tudo bem, mas cuidado para não atrapalhar o funcionamento da cidade. Já ouvi muito o “ah eles tem que esperar, eu só venho aqui um dia, eles estão acostumados com isso”. Não! Sério! Gente, respeitem!

– CHÁ: se você for convidado por alguém, a ir a sua casa, e ele oferecer chá (chá com leite), se você não tomar chá ou café, aceite o chá, e deixe-o lá. Finja que esqueceu dele!

– COMIDA: você tem todo direito de não gostar da comida inglesa, mas daí a ficar reclamando!

– CAIXAS: quando você vai a uma lojinha de conveniência, comprar o ticket do trem, ou qualquer outro tipo de estabelecimento que há uma fila para pagamento, recolha suas coisas e troco rapidamente. Se for necessário, pare fora da área do caixa e coloque o dinheiro na carteira, as moedas no porta níquel, a sacola na mochila. Não faça isso na bancada do caixa.

– PALAVRINHAS MÁGICAS: Para quem não tem costume, treine antes de sair de casa. Obrigado, licença, por favor são as palavras que você deve mais usar pelas bandas britânicas. Agradeça quando o garçon tomar o pedido, quando servir o refrigerante, quando pagar a conta.

*Can I have a pack of crisps, please?

*Would you mind telling me how to get to the Big Ben?

*Thank you!

*Cheers!

*Excuse me. Thank you”

*Sorry.

*Pardon me!

Certeza que se você seguir essas dicas, você será visto como um turista educado, e as pessoas serão mais solícitas em te ajudar, caso necessário.

 

Eu tolero, tu toleras, ele é intolerante

Intolerância.

Não estamos livres dela. Há intolerância na medicina (intolêrancia à lactose, à camarão), na escola (quando o atraso não é perdoado), no trabalho…

Hoje, foram dois casos de intolerância, em dois lugares tão distantes do mundo, que eu decidi escrever sobre isso. Fiquei tão mexida com isso, que deixei de escrever sobre a nossa preparação “humana” para a Copa do Mundo (já se fala muito na infraestrutura né?!)

– O programa CQC tem um quadro que se chama Povo Quer Saber, onde pessoas comuns (ou nem tanto) fazem perguntas à pessoas que estão, de alguma maneira na mídia. O “famoso” de ontem foi Jair Bolsonaro. Quem é do Rio deve saber mais sobre ele. Ele é um ex-militar, que defende a Ditadura (engole essa moleque), e tem um discurso nazi-fascista. É contra as cotas em universidades, homossexuais e racista. Então, Preta Gil fez uma pergunta a ele, e este senhor, simplesmente a distratou. Não só a ela, mas também à sua família. Espia só o vídeo.

– Uma pessoa conhecida minha, estava me contando como está de saco cheio de pessoas de países árabes chegarem na Inglaterra e tentar manter suas culturas, ao invés de se adaptar à deles. O caso foi o seguinte. Um turco parou o carro próximo a esta pessoa e pediu informações de como chegar a uma cidadezinha próxima a Chichester. Após as indicações, o motorista não entendeu muito bem, e ofereceu seu anel em troca deste conhecido entrar no carro e levá-lo até o local. Um simples Não rola, tô atrasado seria o suficiente para dar um chega prá lá no turco. Este conhecido ficou extremamente enraividecido (existe essa palavra? Se tiver errado me corrijam) com a oferta. Me contando o caso parecia que este conhecido foi ofendido, que o turco quase o arrastou para dentro do quarto. Calma, conhecido. Ele queria APENAS saber o caminho. O que tem o costume dele? Não está causando mal a ninguém! Ai, vem o conhecido e fala “se você vem pra um país estrangeiro, o mínimo que deve fazer é abster de seus costumes e se adaptar ao do país em que se encontra”. Sério? Quer dizer então que, quando você vai pra França tem que andar todo fashionzinho e tomar menos banho e usar mais perfume? Que se você é mulher e vai pra Itália tem que ser linda, e maravilhosa, mas depois dos filhos vira uma “mama”? Quando vem ao Brasil tem que sambar e jogar futebol?

Sem mais.

 

O tal do Bully

Foi bem no início do namoro com Mr. M que eu ouvi pela primeira vez na palavra bully. Ela foi trazida para nosso cotidiano e, para aqueles que nunca ouviram falar, bully é aquela zoação, é o pegar no pé, bater, xingar, inventar nomes e apelidos para alguém. Quer ver como você já viu alguém sofrendo bully? Lembra do coleguinha que apareceu de óculos? Da menina alta e magra? Do gordinho? Todos tinham aqueles apelidos que achávamos que não traria qualquer mal a eles, mas quer saber?! Trouxe sim.

Mr. M me contava como sua época de escola foi um inferno, comparada à minha, a qual o único problema que tive foram com disciplina e notas, relativamente na  média (admito que abaixo da média em física). Quando comentava com ele que eu era feliz e não sabia, que não ligava em voltar no tempo, ele batia o pé e falava que naquela época, ele não quer nem pensar em viver novamente.

Nunca entendi o tanto que Mr. M sofreu na escola. Nunca entenderei a dor que foi causada a eles por pessoas que, hoje, são seus amigos. Como ser amigo de alguém que te fez sofrer tanto, que te causou tanta dor? Mas o coração de Mr. M é muito puro. Ele diz que os perdoa, que crianças são maldosas, e que estes amigos já provaram, em mais de uma ocasião a fidelidade e amizade a ele.

Não sei se conseguiria ser como Mr. M. Eu não queria que uma pessoa que fez da minha vida um inferno convivesse comigo. Jamais chamaria este indivíduo de amigo! Jamais! Esses traumas de infância podem fazer com que uma criança com uma boa estrutura familiar, sem problemas sociais, sem problemas emocionais possam ficar tão depressivas que elas cogitam o suicídio! Elas crescem magoadas, sem amigos, depressivas.

Uma vez, na estação de trem, vi um bando de garotos carregando um saquinho com doces. Havia um menino ao meu lado. Ele estava sozinho, e provavelmente sempre ficou sozinho no recreio, no almoço, nos trabalhos. Vieram alguns garotos e pediram doce, apesar de terem seu próprio saquinho. Ele deu a eles. Eu falei com ele, não dê seus doces a estes garotos que vieram aqui te zombar! Ele me disse que não ligava, que era melhor que isso do que ser chamado por nomes horríveis.

O Bully existe em todo lugar do mundo, mas foi na Inglaterra onde eu percebi que era real. Nunca tinha ouvido falar nisso no Brasil.

Recentemente foi postado na internet o vídeo do garoto Casey Heynes, onde um garoto o soca no rosto e desfere diversos outros socos contra ele. Casey, então, o segura, levanta o garoto e o jogo no chão. Quantas pessoas se sentiram vingadas com a atitude de Casey? Quantas pessoas queriam ter a coragem que Casey teve? Casey, na entrevista que coloquei abaixo, admitiu ter cogitado a possibilidade de suicídio, pois não tinha sequer um amigo. Apenas a companhia da irmã mais velha.

Não acho que violência deve ser combatida com violência. Não sei se concordo 100% com a reação do garoto. Mas sei que sua REAÇÃO, diferente de sua OMISSÃO ao longo de três anos de chacotas e abusos físicos e psicológicos, foi visto como um ato heróico pelo mundo. Na entrevisa, é mostrado como Casey é um garoto bom, e visivelmente frágil.

Bully devia ser crime! É abuso moral! Físico! E os praticantes deveriam ser punidos e não apenas alertados, como faz a maioria das escolas.

Casamento Ingles #2

Quem lembra de um casamento que eu fui aqui na Inglaterra? Ninguém né?! Só eu mesma, eu acho! Hehe

Bom, sairam as fotos da fotografa, e resolvi colocar aqui!

Uma das noivas (mulheres) mais lindas que eu já conheci! E o pior, é uma flor de pessoa!!!

Uma das noivas (mulheres) mais lindas que eu já conheci! E o pior, é uma flor de pessoa!!!

Best Men, Ushers e o Noivo (nao nessa respectiva ordem - o noivo é o q olha pra camera com a cabeca meio torta)

Best Men, Ushers e o Noivo (nao nessa respectiva ordem - o noivo é o q olha pra camera com a cabeca meio torta)

Nao é nenhuma danca, é o vento!

Nao é nenhuma danca, é o vento!

Louise - Linda, linda, linda!

Louise - Linda, linda, linda!

 

Fifth of November

Remember, remember, the fifth of November/ gunpowder, treason and plot./ I see no reason why gunpowder, treason should ever be forgot.

Amanhã os céus da Inglaterra estarão cobertos de pólvora. Parecerá Reveillon em Copacabana, com exceção do frio, da falta de praia e areia.

Amanhã, 5 de novembro, celebra-se o Gunpowder Plot (ou Conspiração da Pólvora). Em 1605, Guy Fawkes, tentou assassinar o Rei Jaime I (James) e todos os membros do parlamento durante uma sessão, objetivando o inico de um levante católico. Guy Fawkes era o responsável por guardar os 36 barris de pólvora que seriam utilizados para explodir o parlamento.

Eles perceberam que poderiam matar diversos inocentes, sendo assim, enviaram diversos avisos aos que não tinham nada a ver com a história. Porém, algum dos avisos acabou chegando aos ouvidos do rei que, mandou que o Parlamento fosse revistado de cima a baixo.

A conspiração foi desarmada e após um terrogatório, bem estilo ditatorial (com direito a tortura, cabeça n’água, agulha embaixo da unha e etc) Guy Fawkes foi executado na forca por traição e tentativa de assassinato. Além dos fogos de artifício, comemora-se também com fogueiras (bonfire night).

Uma coisa que eu não entendo é como ele pode ser considerado herói. O que ele fez não tem nada de heróico. Ele tentou explodir o parlamento com o rei, e diante da tortura sofrida e morte, é considerado herói? Na boa, isso é coisa pra inglês ver. Se alguém acha que ele não merece ser herói ligue para 0800 33 10 00 01. Se você acha que mais que justo celebrarem o dia até hoje, porque ele é um puta dum herói liga pro seu terapeuta e discuta o caso.