Banho!!!

ONDE?

Bath. Não, não é uma senteça imperativa. Bath é a cidade linda, charmosinha que eu estive na minha curta temporada no lugar que mais amo (segredo, neste momento, lágrimas cismam em se acumlar em meus olhos diante da lembrança do que a Inglaterra significa pra mim, oke, o que Mr. M significa pra mim). Minha cultura me impede de dizer que Bath seria uma mistura antiga de Araxá/MG (com seus banhos e águas sulfurosas) e Caldas Novas/GO (com seus banhos termais).

COMO CHEGAR?

Vamos começar pelo início. Como chegar em Bath. Fui de carro, saindo de Chichester, mas como a chance de centenas de milhares de pessoas sairem de Chichester em direção a Bath é ínfima, vou colocar a direção saindo de Londres.

Siga na M4, até a saída 18 (Junction 18). Bath está mais ou menos a 16 km desta saída. Acho que quem puder ir de carro, vale a pena. O interior da Inglaterra é lindo, e as paisagens dignas de quebra cabeças de 2000 mil peças.

SOBRE.

Bath é uma cidade que fazia parte do Império Romano, e era chamada de Aquae Solis (que graças as minhas aulas de Latim na sexta, sétima e oitava séries me proporcionam o inenarrável prazer de poder traduzir sem a ajuda do google, ou wikipédia – Águas de Sulis). Havia templos dedicados a Minerva.

ROMAN BATHS

Um dos pontos obrigatórios de visita são os Roman Baths. Eles ficam perto do centro comercial da cidade e para visitar o complexo custa £12.25 por pessoa (alguns lugares aceitam a carteirinha de estudante da ISIC – aquela que você faz pelo STB – como comprovante que você é estudante. Se estudante, o ingresso custa £10.75).

Há passeios guiados, mas com o ingresso você já ganha aqueles aparelhos que parecem um “tijorola” (telefones celulares antigos), que você disca o número do que está vendo e o o telefone te explica o que é. Para os brasucas que não sabem inglês, ferrou-se. Não tem o telefone em português. No máximo espanhol.

Os Roman Baths eram um complexo de águas termais e de veneração à Minerva, onde, estudos mostram eram visitados por viajantes. Há diversos salões, “piscinas”, e exposições de artefatos, esqueleto, e ruínas de Aquae Solis.

As águas tem, hoje, uma cor esverdeada. Mas isso não significa que a água é suja. Antigamente, havia uma cobertura sobre a piscina, o que impedia que os raios solares entrassem em contato com a água, mas hoje, sem essa cobertura, os raios solares induzem a produção de algas, dando a cor verde à água. (deve ser por isso que a Lagoa da Pampulha tem aquela água esquisita, néam?!)

As águas são bem quentinhas mesmo, em alguns pontos pode-se ver a fumacinha (que os biologicamente/fisicamente corretos chamarão de vapor), e as borbolhas são gases que são liberados na fonte (meu comentário infâme com Mr. M, que morreu de vergonha pois vááááárias pessoas ouviram foi “look the water farts just like you”).

JANE AUSTIN’S CENTRE

Keep calm and find yourself a Mr. Darcy. Quem nunca viu Orgulho e Preconceito (viu mesmo, por que ultimamente to achando que exigir do povo ler um pouco demais. O povo tá acostumado a esperar a sair o filme de uma obra literaria e não precisar gastar semanas lendo várias palavras e assimilando o que elas fazem juntas… é complicado né?!), e sonhou com o Mr. Darcy? Ai… muito mais galã que aquele vampiro lá, que me orgulho em não saber o nome (caprichetes morrem, arrancam cabelos e jogam pragas para mim e mais 4 gerações).

Então, mas nem só de Mr. Darcy vive o Jane Austin’s Centre. Jane, my BFF, nasceu em Bath e é uma das cidadãs mais ilustres da cidade.

O centro é numa casa que mantém toda a atmosfera de como era viver naquela época. Existe roupas, móveis, e outras informações sobre a vida da escritora.

Custa £7.45 para entrar, e o gift shop é sensacional, com direito a chaverinhos, adesivos de carros (que não foram adquiridos por que Mr. M me convenceu que ninguém entenderia), blusas, canetas tinteiros, lápis e tudo que I love Mr. Darcy tem direito.

OUTROS

Não vou me delongar sobre as coisas que tem pra fazer lá. Passei só um dia, então, não sou uma expert na cidade, mas lá há muito para oferecer.

Thermae Bath Spa é onde você pode aproveitar as águas termais e relaxar. É uma espécie de day spa, com vários serviços que você pode adquirir. Os preços são: £16.00 para uma hora e meia de spa, £26.00 para duas horas e £36.00 para 4 horas. Dica preciosa do dia: COMPRE PELA INTERNET O INGRESSO. A FILA É GRANDE e quando você está viajando, a última coisa que quer é passar UMA hora na fila né?!

Anúncios

With just a little help

Eu sei que não posso pedir muito já que a atualização do blog tá precária, mas como eu sei que todos vocês torcem (ou por mim ou o nariz mesmo) para eu dar uma virada na minha vida, ganhar bem e ser feliz peço encarecidamente que votem em mim numa promoção do emprego dos sonhos. É assim: clique aqui!, cadastre no site (ah vá, não demora quase nada) e vote em mim! Please please please.

 

Guia prático para bom relacionamento com ingleses.

A ideia desse guia surgiu de uma situação chatérrima que M. e eu vivemos, que não vou transcorrer aqui, pois creio que os autores possam ser leitores deste blog.

– Você, seu/sua namorado/namorada: se você está sozinho, acompanhado de um grupo de amigos, não faz muita diferença. O agarramento com seu amado é preferível quando vocês estiverem sozinhos. Mesmo se não tiver ninguém conhecido ao redor, tem gente olhando. Tem famílias, idosos. Guarde o carinho ardente para um ambiente fechado, sem a presença de outros. ÓBVIO que existem pessoas que dont give a flying monkeys e se enrosca e desenrosca na frente de todos! Mas te digo, tal comportamente não é bem visto.

– Fotos de crianças lindas e sorridentes do parque: Você está lá no parque da cidade da sua preferência e vê, surgindo dos céus, aquela criança linda, sorridente, com um sorriso maravilhoso. Você pensa: vou tirar mil fotos para mostrar para todos em casa como as crianças daqui são lindas. PÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉ! Wrong! Na Inglaterra, existe toda uma cautela em relação à proteção da imagem de crianças. Acho que pela possibilidade de pedófilos se esbaldarem com fotos de crianças lindas. Em alguns parques, inclusive, existem placas falando que é proibido fotografias. Sério. Respeite isso! Se der algum problema, até você provar que o único objetivo de suas fotos é fazer com que seus entes queridos emitam um melódico OWWWNNNN você estará em serious trouble.

– Sou esperto e furo fila: vai bobo! Vai furando fila pra você ver. As pessoas gritam, falam sobre sua nobre atitude. Furar fila, além de te dar atestado de idiota e mal educado, pode fazer eclodir uma briga! E em se tratando de ingleses, eles adoram uma briga. Nem que seja discussão. Ah, se você brigar numa baladgenha, pode ser processado por ASBO – anti social behavior order e, diferentemente, dessas terras tupiniquins, dá cadeia sim!
– Caixa de loja: por alguma razão que transcende meu entendimento, é esperado que, assim que você pague suas compras (lojas, supermercado, cinema), você retire suas sacolas, agarre o troco e se vire. Não tem dessa de arrumar o troco na carteira enquanto estiver na frente do caixa. Discordo disso, bato o pé que eu estou certa em demorar um pouquinho mais para arrumar minhas compras, mas a verdade é: as pessoas da fila vão te olhar de maneira tão desprezível que você vai jogar o troco dentro da bolsa e dar no pé. Isso quando a própria atendente não te olhar com olhos de desprezo e fizer cara de que você está tomando o tempo precioso dela.

– Se está na Inglaterra, fale inglês britânico: okay, você aprendeu inglês assistindo FRIENDS, e seu curso no C.C.A.A. te ensinou daquela forma, mas na Inglaterra, calças são TROUSERS (leia-se trauzers) e não pants. Pants são cueca. Calcinha é KNICKERS (leia-se niquers). Fila é QUEUE **thanks Bruna** (leia-se quiu). Prá levar é TAKE AWAY. Pela própria antipatia que ingleses tem em relação a americanos, a língua inglesa americana é vista com a mesma, se não com mais antipatia ainda.

Seguindo essas dicas, você será muito mais bem quisto e visto!

Guia de Férias NPC

Foram quatro semanas com a melhor companhia que eu poderia querer. Mr M conseguiu umas férias super blaster longas e ficou o tempo todo aqui.

Nessas quatro semanas fomos a diversos lugares nunca dantes visitados e resolvi colocar nosso roteiro (com minhas observações para aqueles que queiram dar umas voltinhas pelos lugares que fomos).

Bom, vamos começar pelo começo:

– Belo Horizonte, minha cidade do coração: Zoológico, Mercado Central, Paraglading.

– Ouro Preto

– Salvador

– Praia do Forte

Vou preparar as fotos, os detalhes, as informações, e a partir dessa semana o blog tá com força total. Infelizmente sem Mr M!

Thames River Cruise

Enquanto rola uma festa junina aqui perto de casa, e o DeeJay só sabe tocar músicas antigas e funk de péssima categoria, resolvi escrever sobre um programinha divertido para se fazer em Londres, de preferência no verão.

Estamos oficialmente na alta temporada européia, já que, de acordo com o calendário maia eles estão no verão, aproveitemos o ar puro e quente da capital da Inglaterra e façemos um passeio diferente.

O passeio de barco pelo Rio Tames é uma visão diferente que a maioria dos turistas tem de diversos pontos turísticos de Londres. Você tem, por exemplo, a possibilidade de passar sob a London Bridge, de ter uma visão de um angulo privilegiado do Big Ben…

O roteiro que eu escolhi quando fiz esse passeio foi pegar o Catamaran em Westminster e descer em Greenwich. O dia estava ensolarado, bem gostoso. Aconselho que você faça esse passeio se não houver possibilidade de chuva! Acredite, não chove todo dia em Londres, da mesma forma que não faz sol todo dia no Rio de Janeiro.

O passeio demora um pouquinho, então se você está naquelas de passar 2 dias em Londres, eu realmente não recomendo o passeio de barco, pois ele toma uma boa parte do seu dia. Mas se você tem tempo folgado para explorar Londres (e outras cidades também), senta e anota as dicas!

– 2for1 voucher: esses vouchers 2for1 são uma mão na roda. Você compra um e ganha o outro, maaaaannnnssss você tem que apresentar o voucher ou o ticket de trem laranja (os tickets dos trens da national rail). Para pegar seu voucher, clique aqui.

– Picnic. O mundo capitalista funciona assim, se é um lugar restrito, as poucas alternativas de comida boa e barata, vão acabar sendo boa e cara. Leve uma mochila, com uma canga (ou cobertor xadrez), comes e bebes. Lembra daquelas excursões do colégio pro zoológico que você levava chips, refrigerante em lata, bala, chiclete, etc. Não compre lá, pois vai ser mais caro.

– Evite rolar pelo gramado morro abaixo, você pode atropelar algum turista francês fedido, que por algum motivo que só Deus pode explicar o motivo de tomar sol de roupas no meio do morro!

– Você vai estar em Greenwich, logo você vai querer uma foto como esta.

Foto do google images

Foto do google images

A fila será imensa, você vai ficar lá horas, disputando o espaço com um bando de turista (não que você não seja, mas eu me refiro mais ao turista tipo japonês com câmeras ultra poderosas), para uma, em teoria), simples foto em cima de uma linha. Lembre-se, a linha de Greenwich é grande, elá dá a volta em meio mundo, então aquele lugar onde todos estão tirando fotos não é o único. Ao descer as escadas, à sua esquerda (tem um portãozinho, que eu não pestanejei em abrí-lo) , no muro, a linha continua, pintada no muro e tudo, então, se você não quiser enfrentar a fila, é uma boa opção.

Foto google images

Foto google images

Espero que vocês aproveitem as dicas zúppppper úteis.

Chegadas e Partidas

Existe um programa apresentado pela Astrid (aquela da MTV de muito tempo) que se chama Chegadas e Partidas. Basicamente a Astrid fica no aeroporto de São Paulo em busca de estórias interessantes.

Fico pensando que minha vida daria um bom episódio. São 5 anos de chegadas e partidas, e a cada ida ao aeroporto o sentimento é diferente. Lembro da primeira chegada de Mr. M no aeroporto de Confins. Havia toda uma expectativa, o voô atrasou, e eram quase meia noite (o voô deveria ter chegado por volta das 9 da noite), quando aquele gringo, com cara de gringo, e boné marrom, despontou no meio da multidão.

A primeira partida foi a mais dolorosa. Não sabíamos o que estava por vir, como seria manter aquele relacionamento à distância, por quanto tempo iríamos tolerar aquela situação (leia-se tentação), quando iríamos nos ver novamente.

A cada chegada e partida, a certeza que aquilo estava se aproximando do fim, que logo não seria necessário contar os dias para nos ver, ou tentar alongar os dias para ir iria chegar ao fim. Graças à falta do meu visto, ainda tenho minhas chegadas e partidas. A próxima chegada será em um mês.

Mr. M conseguiu ficar um mês aqui! Acho que ele nunca ficou tanto tempo aqui comigo. Sempre foi aquela visita rápida, tão cheia de compromissos que acaba que não fazemos nada.

Sei que estou em falta com o NPC, mas é por um bom motivo. O meu regime vai muito bem, obrigada. Foram eliminados 13 kgs, e que antes era um vergonhoso manequim 46, hoje é um esbelto 42, folgado!  O regime apertado me deixa sem ânimo à noite, horário que normalmente posto ou faço comentários!

Bom, é isso! Estou loucamente anciosa pela próxima chegada!

Nesses 15 dias

Foram 15 dias atípicos aqui em casa.. Não bastasse a obra (que já está na fase do gesso), a visita ilustre de Mr. M nos tirou de uma rotina que eu custo a me readaptar. Mr. M chegou em Belo Horizonte, e eu, sem querer, e por culpa do piloto da TAP chegou antes de mim. Ele teve de me esperar no aeroporto. Não foi culpa minha, e nem a primeira vez que isso acontece. Sorry Mr. M.

Mr. M trouxe a chuva. Choveu quase o tempo todo. Quando eu digo quase significa que a chuva parou, respirou, segurou o fôlego e continuava. Inclusive no Rio, durante o Carnaval, o que não o impediu de pegar um bronze… ok, uma vermelhidão.

Fiquei de motorista (do galere) quase que em tempo integral, então não poderei enaltecer, aqui, sobre meus porres e bebedeiras, uma vez que foram inexistentes. Mas tivemos churrascos, churrascarias, 12 litros de Guaraná goela adentro de Mr. M, 3 kg de pão de queijo forrando o estômago do inglês, praia, areia na bolsa, compra de canga, compra de 8 pares de havaianas. Desta vez não houve nenhum litro de cachaça, mas houve compra do colar de sementes.

Mr. M não é só meu namorado, é também o meu melhor amigo. Meu companheiro, que gosta de bobagem, de rir comigo, de rir de mim, de elogiar quando meu cabelo está nos seus piores momentos, de falar minha linda menininha, de fingir ser fluente em português, e de ter toda a paciência do mundo quando nenhum dos meus amigos falam inglês, apesar de saberem. Aliás, se você sabe inglês e tem preguiça ou vergonha de falar com o gringo que tá junto do seu galere, pense se a situação fosse o oposto.

Fomos em bloquinhos de carnaval, fomos em bares, em restaurantes, na piscina e no mar. Fomos em shopping, em feira. Passeamos nas ruas, acordamos tarde, fomos no cinema.

Mas ontem, no dia do casamento da minha amiga linda, Lisy, Mr. M teve que partir lá pro outro lado do Atlântico. Enquanto o meu tão sonhado visto não chega, desejo, ardentemente, que Mr. M venha, mesmo, em Julho como ele tem falado.

Enquanto esse tempo não chega, fotos!!!

Homenagem aos amigos de infancia

Dignissimos amigos: André, Alvaro, Daniel e Coruja,

Como bem sabem, estou na Inglaterra, e ao contrário do que possa parecer, não esqueci dos amigos. Aqueles amigos, de longa data, de infância.

Sempre me senti muito querida por vocês, sempre me senti meio que parte de uma turma que, aparentemente era TÃO diferente de mim. Aparentemente. Tá, vocês nunca me acompanharam numa micareta, ou nos meus shows de bandas pop. Sertanejo.. ui!!! Vocês vinham como uma aula de como a música tem dois acordes, e os bobões aqui (no caso eu) ficam babando pelos caras e músicas toscas, sem melodia ou letra profunda!

Ai, cara, acho que na verdade, vocês cansavam minha beleza hahahah!

Mas não tô aqui para falar que, no assunto música, vocês, TODOS, sem exceção eram um pé no saco! E olha que eu nem tenho um!

Então, voltando à Inglaterra… Existe aqui uma paixão comum entre todos nós. E não, não é cerveja, até porque, Alvaro afroxou-se e diz que só bebe whisky! A paixão a qual me refiro fez muita coisa nesse prédio aqui. Conhecem?

Então, quase todo mundo escreve o nome aqui.

E se vocês derem um zoom na foto, encontrarão minha pequena (mas muito carinhosa) homenagem a vocês! Jamais escreveria o MEU nome sem, PRIMEIRO, escrever o de vocês.

Beijos da amiga que tem a voz mansa, que dá até vontade de dormir (já vão se fazer 10 anos que você me falou isso hein André?!)

Ahhh escrevi o meu nome, e de mamys, que depois de 6 meses (SIM SEIS MESES) resolveu deixar comentário nos posts!

E eu, e mais quatro desconhecidos atravessando a rua, que nem os BEATLES. Ah desconhecidos e BRASILEIROS! Hahahahah

Aos leitores do blog quero dizer algumas coisinhas sobre Abbey Road.

Ao contrário do que a maioria imagina, Abbey Road NÃO fica em Liverpool. Fica em Londres (Estação St. John’s Wood – Jubilee Line, uma estação depois de Baker Street). Se você quiser uma foto como a minha, a la Beatles não vá no horário de pico (8 as 9 da manhã e 16 às 18). Os motoristas da região tem paciência ZERO e ficam buzinando e xingando o povo na rua.

Vá em Abbey Road se você for fã mesmo, porque fora tirar foto do Studio e da faixa no chão não há mais nada a se fazer. Não pode entrar no studio. Não vi nenhuma lojinha de souvenirs. Vi umas três ou quatro pessoas reclamando que só tinha isso. Nem a plaquinha da rua tem (oke, algum VANDALO IDIOTA roubou a placa da rua). Há 4 anos e meio que venho para a Inglaterra e essa foi a primeira vez que fui (oke, oke, parte disso é porque eu jurava que era em Liverpool. Doce engano).

– saindo da estação, identifique uma “banca de jornais”. Siga a rua (direção oposta da banca de jornais – salvo engano à direita). Ande por cerca de 2 quarteirões até que você vai chegar numa junction. Não tem erro. Vai ter gente no meio da rua tirando foto!

London Ice Bar

Ele tá ali, colado na Regent Street. Você passa por ele sem perceber. Não há placas na esquina informando que ele está por ali. Você, na verdade só soube da existência dele, graças à sua curiosidade (mentira, graças ao pão durismo, aliás nos guias gratuítos de Londres que você acha os 2-por-1 vouchers, e cupons de desconto em restaurantes.

Num desses guias, que você pegou no hotel (Park Plaza Westminster Bridge London, logo farei um post de hotéis em Londres) estava lá escrito Come meet the London ice bar, book now!

Um dos melhores lugares de Londres, juro! São £12.50 (doze libras e cinquenta pences) para entrar, com direito a um drink. Você fica 45 minutos lá dentro, e não se preocupe com o frio. Eles te emprestam um “casaco” especial COM luvas, para você não queimar sua mão no gelo.

Pede-se para chegar um pouquinho mais cedo, e eles te empurram para o bar. Acontece que logo você entra, e teoricamente não aproveita a bebida que pedir no bar.

 

http://www.belowzerolondon.com/
31-33 Heddon Street
Mayfair, London, W1B 4BN

Drinks da foto

Swedish Mule
Strawberry Mojito