Au Pair

Quando cheguei na imigração, tinha o visto de estudante, que nada mais é do que um carimbo, informando quando tempo você pode ficar na Inglaterra, e se pode ou não requerer serviços sociais. Acontece que o meu carimbo estava tão mal carimbado (cara, o trabalho do caboclo é carimbar, e nem isso ele faz. Fora o mal humor, típico dos oficiais de imigração) que me informaram que deveria comparecer a uma delegacia de imigração só pra preencher o formulário e pegar um novo carimbo, se necessário.

Assim que pude, fui. O oficial foi muito solícito comigo, nada do que haviam me falado, que eles não ajudam, estão sempre de cara amarrada. Muito pelo contrário, ele estava num ótimo bom humor. Me informou que eu poderia, além de estudar, trabalhar. Sai feliz da vida.

Comecei a procurar trabalhos como au-pair e no início, confesso, foi um pesadelo.

Nos anúncios da agência, só tinham famílias que somente queriam uma empregada doméstica, e não uma au-pair.

Há quatro anos, fui parar na casa de uma família com um pai que sofrera um erro medico incapacitando-o por toda a vida, uma mãe, professora de educação física, uma menininha de 5 anos e um menininho de 11 meses.

Minha entrevista foi bem diferente. Bom, ela foi normal, mas as respostas e reações dos pais foi algo diferente.

Quando perguntaram quais os meus planos para os fins de semana, respondi, quase que envergonhada, que queria passar os finais de semana, feriados e o que mais pudesse, com meu namorado. Os pais me olharam, sorriram e falaram “ótimo! Não queremos você presa aqui, queremos que você saia, passeie e se divirta”. Pagavam, inclusive, a passagem de trem para a cidade do Mr. M (a passagem custava 20 libras). Hã?!?!?!

Resolvi lá ficar.

Isso foi ha quatro anos.

“Meus meninos” eram assim…

Sexta feira irei encontrar com a família. Não estou preparada psicologicamente para encontrar Emma com quase 10 ANOS e Mattie com quase 5!!! Não!! Demais para mim!

*A Inglaterra não permite que brasileiros e brasileiras sejam au pair. Quase me ferrei na imigração, mas graças a Deus, o oficial bonzinho, lembrou de mim (por causa do meu nome enoooorme e por causa do carimbo que nada se via) e falou que realmente não tinha me avisado da proibição de ser au pair. Mas se você vai arriscar, no ilegal mermo, cuidado com as promessas fraudulentas. A média da bolsa ajuda não ultrapassa 120 libras. Você não deve cozinhar e comer com as crianças, e homem solteiro procura au pair é velha, mas ainda tem muita menina caindo no conto da carochinha!

Anúncios

Quinta Japa

Sem ressaca no dia seguinte. A abstinência alcoólica tem suas vantagens (apesar de ter tomado uma única tulipa de cerveja). Realmente, sushi e cerveja não combinam, o gosto simplesmente não bate. Sushi e cerveja não são como macarrão e vinho, cerveja e churrasco, suco e sanduíche natural.

Abri mão da cervejinha, por pouco tempo! hehe

Fomos ao Sakê, que fica na Marília de Dirceu, quase esquina com a loja da Tam.

Quinta Japa

Como é engraçado essa questão de blogs. Quando começou essa história de blog, diário virtual, etc, as pessoas literalmente começaram a escrever sobre a vida delas, o que faziam, onde ia, milhões de fotos. Hoje em dia, blog de menina virou blog de moda, ou blog de sexo (tenho um excelente para indicar: Sex at Oxbridge que apesar de se tratar de sexo – em inglês – trata também de uma menina – uma doce de menina, diga-se de passagem – que tem ser infortúnios com homens e sua correria como estudante universitária que é).

Sinto falta daqueles blogs de antigamente. Que falavam de paixões adolescentes, briguinhas, intrigas, coisas do cotidiano… ultimamente o único blog desse nível que tenho conhecimento é o da Re Biscoito, que infelizmente não escreve com tanta frequencia assim.

Há alguns anos, desde que me formei no Colégio Loyola, um dos mais tradicionais de Belo Horizonte, mantenho amigas. Amigas mesmo. Com quem posso contar sempre, ligar de madrugada, chamar como companhia para aquelas festas que você vai por causa de uma pessoa… Cada uma tomou seu rumo. Quase ninguém é companheira de profissão ou faculdade, o que nos fez (quase obrigou) marcar encontrinhos semanais. Japa é nossa comida favorita, então, como o nosso dia disponível era a quinta, ficou como Quinta Japa. Quinta Japa, na verdade é um evento que é organizado pelo Minas Tênis Clube, o qual nunca fui. Nunca fui por achar que o encontro com minhas amigas seja mais interessante e não ter que ficar suportando aquelas meninas e meninos”pagação”, que só se vestem de acordo com catálogos de moda, e vestem o sapato da hora. Preguiça!!!

Com o tempo, espero que este blog, fique cheio de fotos reais, de pessoas reais, de eventos reais, com um pouco de photoshop (porque ninguém é de ferro). E hoje tem companhia!! Além da @biacaram, e a Tatá, teremos o Rodrigão! Oba!!